Eu e você sempre

  • Postado por Ran

Logo, logo assim que puder vou telefonar,
Por enquanto tá doendo,
E quando a saudade quiser me deixar cantar,
Vão saber que andei sofrendo.

E que agora longe de mim,
Você possa enfim, ter felicidade,
Nem que faça um tempo ruim,
Não se sinta assim, só pela metade.

Ontem demorei pra dormir tava assim sei lá,
Meio passional por dentro,
Se eu tivesse o dom de fugir pra qualquer lugar,
Ia feito um pé de vento.

Sem pensar no que aconteceu,
Nada nada é meu (nem meu), nem o pensamento,
Por falar em nada que é meu,
Encontrei o anel, que você esqueceu.

Aí foi que o barraco desabou,
Nessa que meu barco se perdeu, 
Nele tá gravado só você e eu. (2x)

Logo, logo assim que puder vou telefonar,
Por enquanto tá doendo,
E quando a saudade quiser me deixar cantar,
Vão saber que andei sofrendo.

E que agora longe de mim,
Você possa enfim, ter felicidade,
Nem que faça um tempo ruim,
Não se sinta assim, só pela metade.

Ontem demorei pra dormir tava assim sei lá,
Meio passional por dentro,
Se eu tivesse o dom de fugir pra qualquer lugar,
Ia feito um pé de vento.

Sem pensar no que aconteceu,
Nada nada é meu (nem meu), nem o pensamento,
Por falar em nada que é meu,
Encontrei o anel, que você esqueceu.

Aí foi que o barraco desabou,
Nessa que meu barco se perdeu, 
Nele tá gravado só você e eu. (5x)


Written by Jorge Aragão/ Flávio Cardoso

Maçã do rosto

  • Postado por Ran

Que é isso, preta
Não faça isso não
Não, não, não não
Esse seu chamego é bom demais
Para o meu coração

Me ame devagarinho
Sem fazer nenhum esforço
Tô doido por seu carinho
Pra sentir aquele gosto
Que você tem na maçã do rosto

Vem morrer nesse beijo
Que eu vou te dar
Por você meu desejo aumentou
E pode me matar


Written by Djavan

Don't Call Me Baby

  • Postado por Ran

Stop trying, don't you see the look in my eyes?
And stop begging, can't you see I've run outta lies?
Stop showing up at my favorite restaurant
And dropping by my work saying you just wanna talk

Don't call me baby
Don't call me baby
Anymore

Stop running baby cause you've run outta time
(Stop running baby cause you've run outta time)
And stop asking, you know all the reasons why
(Stop asking, you know all the reasons why)

Stop staring through me like you know who I am
(Stop staring through me like you know who I am)
When you don't know me, you don't know me, barely knew me then
(You don't know me, you don't know me, you don't know me you don't)

And don't call me baby
Don't call me baby
Anymore

Hey, hey, hey
Walking away now, walking away now baby
Oh baby
Hey, hey, hey
Walking away now, walking away now baby
Oh baby

Don't call my number
Don't call me over
Don't call me baby
Anymore

What you gonna do my love?
What you gonna do?
What you gonna say this time?
What's your excuse?
When you gonna break my heart?
When you gonna break?
Nobody hurts like you

Stop staring through me like you know who I am
When you don't know me, you don't know me, barely knew me then
(You don't know me, you don't know me, you don't know me you don't)

And don't call me baby
Don't call me baby
Anymore

Hey, hey, hey
Walking away now, walking away now baby
Oh baby
Hey, hey, hey
Walking away now, walking away now baby
Oh baby

Don't call my number
Don't call me over
Don't call me baby
Anymore
 

Written by Andrew Alphonse Van Dorsselaer / April-Cheyne Coates / Duane William M. Morrison

bluesAndJazz

  • Postado por Ran

Ghost

  • Postado por Ran

I don't pick up the mail,
I don't pick up the phone,
I don't answer the door,
I just soon be alone
I don't keep this place up,
I just keep the lights down,
I don't live in these rooms,
I just rattled around

I'm just a ghost in this house,
I'm shadow upon these walls,
As quietly as a mouse,
I haunt these halls,
I'm just a whisper of smoke,
I'm all that's left of two hearts on fire,
That once burned out of control,
You took my body and soul,
I'm just a ghost in this house

I don't care if it rains,
I don't care if it's clear,
I don't mind stayin' near,
There's another ghost here,
He sits down in your chair,
And he shines with your light,
And he lays down his head,
On your pillow at night

I'm just a ghost in this house,
I'm just a shadow upon these walls,
I'm living proof of the damage heartbreak does,
I'm just a whisper of smoke,
I'm all that's left of two hearts on fire,
That once burned out of control,
You took my body and soul,
I'm just a ghost in this house

That once burned out of control,
You took my body and soul,
I'm just a ghost in this house
 

Written by Hugh Prestwood

Maracangalha

  • Postado por Ran

Eu vou prá Maracangalha
Eu vou!
Eu vou de liforme branco
Eu vou!
Eu vou de chapeu de palha
Eu vou!
Eu vou convidar Anália
Eu vou!
Se Anália não quiser ir
Eu vou só!
Eu vou só!
Eu vou só!
Se Anália não quiser ir
Eu vou só!
Eu vou só!
Eu vou só sem Anália
Mas eu vou!...(3x)

Eu vou só!...(16x)

 

Written by Dorival Caymmi

E agora?

  • Postado por Ran

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, para onde?

Excerpt from poem "E agora, José", written by Carlos Drummond de Andrade

The Goldberg Variations

  • Postado por Ran

BWV 988, written for harpsichord by Johann Sebastian Bach

Performed by Glenn Gould in 1955

Like Sugar

  • Postado por Ran

It's like su--
It's like su--

It's like sugar, so sweet
Good enough to eat
When I feel the funk, I give in
Get up on a-yo' feet

Why with the state that I'm in
Everybody here is dancing
All I wanna do is get ya
Body next to mine, yeah
Baby won't you stand up to me
Come around and make a move
Maybe teach ya something like this
Funky, funky groove

It's like sugar, so sweet
Good enough to eat
When I feel the funk, I give in
Get up on a-yo' feet

It's like su-- 
It's like su-- (I like it)
Like sugar (like sugar), it's like sugar (like sugar)
It's like sugar (like sugar), it's like sugar (like sugar)
It's like sugar (like sugar), it's like sugar (like sugar)
It's like sugar (like sugar), it's like sugar (like sugar)
It's like sugar (yeah), it's like sugar (like sugar)
It's like sugar (like sugar), it's like sugar (like sugar)
It's like sugar (like sugar), it's like sugar
It's like sugar (like sugar), it's like (ooh)
It's like su--

It's like sugar, so sweet
Good enough to eat
When I feel the funk, I give in
Get up on a-yo' feet

It's like sugar, so sweet
Good enough to eat
When I feel the funk, I give in
Get up on a-yo' feet

Why with the state that I'm in
Everybody here is dancing
All I wanna do is get ya
Body next to mine
Baby won't you stand up to me
Come around and make a move
Maybe teach ya something like this
Funky, funky groove


Written by David James Andrew Taylor / Sarah Ruba / Chaka Khan

É necessário acreditar

  • Postado por Ran

É necessário sempre acreditar que o sonho é possível
Que o céu é o limite e você, truta, é imbatível
Que o tempo ruim vai passar, é só uma fase
E o sofrimento alimenta mais a sua coragem
Que a sua família precisa de você
Lado a lado se ganhar pra te apoiar se perder
Falo do amor entre homem, filho e mulher
A única verdade universal que mantém a fé
Olho as crianças que é o futuro e a esperança
Que ainda não conhecem, não sentem o que é ódio e ganância
Eu vejo o rico que teme perder a fortuna
Enquanto o mano desempregado, viciado, se afunda
Falo do enfermo, irmão, falo do são, então
Falo da rua que pra esse louco mundão
Que o caminho da cura pode ser a doença
Que o caminho do perdão às vezes é a sentença
Desavença, treta e falsa união
A ambição é como um véu que cega os irmão
Que nem um carro guiado na estrada da vida
Sem farol no deserto das trevas perdidas
Eu fui orgia, ébrio, louco, mas hoje ando sóbrio
Guardo o revólver quando você me fala em ódio
Eu vejo o corpo, a mente, a alma, o espírito
Ouço o repente e o que diz lá no canto lírico
Falo do cérebro e do coração
Vejo egoísmo, preconceito de irmão pra irmão
A vida não é o problema, é batalha, desafio
Cada obstáculo é uma lição, eu anuncio

É isso aí, você não pode parar
Esperar o tempo ruim vir te abraçar
Acreditar que sonhar sempre é preciso
É o que mantém os irmãos vivos

Várias famílias, vários barracos
Uma mina grávida
E o mano tá lá trancafiado
Ele sonha na direta com a liberdade
Ele sonha em um dia voltar pra rua longe da maldade
Na cidade grande é assim
Você espera tempo bom e o que vem é só tempo ruim
No esporte, no boxe ou no futebol
Alguém sonhando com uma medalha o seu lugar ao sol, porém
Fazer o que se o maluco não estudou
500 anos de Brasil e o Brasil aqui nada mudou
Desesperô aí, cena do louco
Invadiu o mercado farinhado armado e mais um pouco
Isso é reflexo da nossa atualidade
Esse é o espelho derradeiro da realidade
Não é areia, conversa, xaveco
Porque o sonho de vários na quebrada é abrir um boteco
Ser empresário não dá, estudar nem pensar
Tem que trampar ou ripar pros irmãos sustentar
Ser criminoso aqui é bem mais prático
Rápido, sádico, ou simplesmente esquema tático
Será instinto ou consciência
Viver entre o sonho e a merda da sobrevivência

O aprendizado foi duro
E mesmo diante desse revés não parei de sonhar
Fui persistente, porque o fraco não alcança a meta
Através do rap corri atrás do preju
E pude realizar meu sonho
Por isso que eu, Afro-X, nunca deixo de sonhar

Conheci o paraíso e eu conheço o inferno
Vi Jesus de calça bege e o diabo vestido de terno
No mundo moderno, as pessoas não se falam
Ao contrário, se calam, se pisam, se traem, se matam
Embaralho as cartas da inveja e da traição
Copa, ouro e uma espada na mão
O que é bom é pra si e o que sobra é do outro
Que nem o sol que aquece, mas também apodrece o esgoto
É muito louco olhar as pessoas
A atitude do mal influencia a minoria boa
Morrer à toa, que mais? Matar à toa, que mais?
Ser presa à toa , sonhando com uma fita boa
A vida voa e o futuro pega
Quem se firmô, falô
Quem não ganhou, o jogo entrega
Mais um queda em 15 milhões
Na mais rica metrópole, suas várias contradições
É incontável, inaceitável, implacável, inevitável
Ver o lado miserável se sujeitando com migalhas, favores
Se esquivando entre noite de medo e horrores
Qual é a fita, a treta, a cena?
A gente reza, foge, continua sempre os mesmo problema
Mulher e dinheiro tá sempre envolvido
Vaidade, ambição, munição pra criar inimigo
Desde o povo antigo foi sempre assim
Quem não se lembra que Abel foi morto por Caim
Enfim, quero vencer sem pilantrar com ninguém
Quero dinheiro sem pisar na cabeça de alguém
O certo é certo na guerra ou na paz
Se for um sonho não me acorde nunca mais
Roleta russa, quanto custa engatilhar?
Eu pago o dobro pra você em mim acreditar

É isso ai você não pode parar
Esperar o tempo ruim vir te abraçar
Acreditar que sonhar sempre é preciso
É o que mantém os irmãos vivos

Geralmente quando os problemas aparecem
A gente está desprevenido né, não?
Errado!
É você que perdeu o controle da situação
Perdeu a capacidade de controlar os desafios
Principalmente quando a gente foge das lição
Que a vida coloca na nossa frente assim, tá ligado?
Você se acha sempre incapaz de resolver
Se acovarda, morô?
O pensamento é a força criadora
O amanha é ilusório
Porque ainda não existe
O hoje é real
É a realidade que você pode interferir
As oportunidades de mudança
Tá no presente
Não espere o futuro mudar sua vida
Porque o futuro será a consequência do presente
Parasita hoje, um coitado amanhã
Corrida hoje, vitória amanhã
Nunca esqueça disso, irmão


Written by E / Intro De Afro-x 509